SOBRE A IGREJA

História

A Igreja Evangélica Baptista de Cedofeita é fundada a 19 de Março de 1956 por doze crentes saídos do Tabernáculo Baptista, em instalações provisorias arrendadas na Rua de Cedofeita nº 122, 1º, bem no centro da cidade do Porto.

O concílio organizador é constituído por três pastores veteranos e pioneiros: Raul Pinto de Carvalho, que assume o seu pastorado durante cinco anos, Joaquim Eduardo Machado e João de Deus Ferreira.

A Igreja vai crescendo significativamente e, em Março de 1962, assume a sua liderança o pastor José Gonçalves. Durante os treze anos seguintes vai dirigir um processo notável de expansão, tendo-se o número dos seus membros aproximado dos 200, e as áreas de serviço cristão abrangido crianças e jovens, missões, evangelização e beneficência e uma forte ênfase na cooperação denominacional, quer nacional quer internacional.

Para responder ao crescimento verificado, a Igreja adquire em 1964 uma propriedade na mesma Rua de Cedofeita nºs 167-173. As obras de demolição e construção, necessárias à adaptação da casa à missão de uma comunidade dinâmica, são um desafio à capacidade de empenhamento e entrega dos seus membros! A 19 de Março de 1967 a Igreja celebra onze anos de vida e solenemente inaugura e dedica ao serviço do Senhor um belo santuário capaz de sentar 250 pessoas e um conjunto funcional de instalações para a educação cristã e actividades de carácter social, desportivo e administrativo.

É um tempo glorioso na vida da Igreja! Não só cresce dentro de si como vai dar origem a duas novas Igrejas na zona do Porto: Francos e S. Mamede de Infesta. As novas instalações já não respondem às necessidades do trabalho, sendo adquirido um pavilhão pré-fabricado com três salas e casa de banho. Os seus membros são activos nas diversas áreas de actividade denominacional a nível nacional e internacional assumindo, não raro, posições de liderança.

Com a saída do pastor Gonçalves em Setembro de 1974, fruto de desentendimentos internos, a Igreja fica sem liderança pastoral durante 14 meses. É, provavelmente, o tempo mais difícil da sua vida! São dias amargos, complexos, a provar a fé e dedicação de muitos dos seus membros. A comunidade fragmenta-se, largas dezenas de membros abandonam-na e o desânimo é grande… mas a Igreja Evangélica Baptista de Cedofeita permanece de pé.

Em Novembro de 1975, a convite da Igreja, Herlânder Felizardo assume o seu pastorado. Uma nova página se abre. O ânimo renasce. O povo dispõe-se a trabalhar. Por um período de três anos e sob a direcção do seu novo pastor, a Igreja reencontra o seu lugar de serviço e testemunho cristão.

O pastor Felizardo aceita um outro pastorado em 1979 e, mais uma vez, a Igreja de Cedofeita vive um período de alguma instabilidade que é superada pela liderança interina do pastor Artur Soares durante a segunda metade de 1980. Nesse ínterim, a Igreja endereça ao Pastor Abel Pego, então estudante na Suíça, um convite a que este responde positivamente.

A 4 de Janeiro de 1981, uma nova era começa para a Igreja Evangélica Baptista de Cedofeita. O novo pastor chega com a sua família no ano em que a Igreja celebra os seus 25 anos de vida. São avaliadas, com a objectividade possível, as necessidades e as potencialidades da comunidade. O pastor Pego afirma a vontade de realizar um longo ministério em Cedofeita, se essa for a vontade de Deus e dos seus membros! São definidas as grandes linhas de força do novo pastorado:

Construção em permanência de uma comunidade de amor cuja cabeça é Jesus Cristo;
disponibilidade para responder aos desafios que a ordem de Jesus – “Ide e fazei discípulos” – acarreta, com entusiasmo, dedicação e liberalidade;
investir sistematicamente na cooperação inter-igrejas no quadro das instituições existentes, nomeadamente a Convenção Baptista Portuguesa e a Aliança Evangélica Portuguesa.

Com todas as vitórias e vicissitudes que 25 anos de vida e ministério pastoral incorporam, a Igreja tem-se mantido fiel a estas orientações fundamentais!

Ao longo destes anos e no quadro do seu processo de crescimento natural, a Igreja sentiu a necessidade de providenciar um conjunto de equipamentos que a ajudassem a construir o futuro. Assim, em 1982, lança-se na renovação do seu santuário e na construção de uma boa residência pastoral. Mais tarde, adquire um novo pavilhão com três boas salas para a educação cristã. O salão social, velho de mais de 100 anos, vai sofrendo benfeitorias várias que lhe permitem receber actividades diversificadas desde grandes refeições comunitárias, festas sociais, encontros e concertos de jovens, acções desportivas e outras…

Geograficamente situada no centro da cidade, a Igreja recebe um constante fluxo de visitantes de diversas proveniências, tendo nos últimos anos acolhido numerosos crentes do Leste europeu, designadamente ucranianos e russos, e outros que se vão convertendo, desencadeando um processo de carácter espiritual e social que levou a Igreja a convidar um pastor de língua russa, Oleg Bukovskyi, para os pastorear.

Propósito

A Igreja Evangélica Baptista de Cedofeita assume-se como uma comunidade local com visão global. Sabe que a sua primeira responsabilidade é cuidar dos seus membros enquanto indivíduos e famílias, procurando nutri-las com a Palavra de Deus através da adoração, do louvor, do estudo bíblico, da oração e do testemunho. Assim, o culto congregacional tem um lugar central no conjunto das suas actividades. Os seus membros são ainda convidados a promoverem todo o tipo de acções que os façam sentir-se parte de um todo que é o Corpo de Cristo!
Por outro lado, a visão da Igreja tem de ser capaz de abarcar o Porto, o país e o mundo. Assim, desde o início dos anos 80, a Igreja Evangélica Baptista de Cedofeita tem colaborado com as Igrejas irmãs na Convenção Baptista Portuguesa, tendo em vista o sustento de acções missionárias em Portugal e no estrangeiro, a promoção da educação cristã e teológica, a realização de acampamentos bíblicos e as actividades de crianças, jovens, senhoras e homens.

Esta comunidade que envolve mais de 200 pessoas, e que em 2006 celebrou 50 anos de vida, reafirma permanentemente o seu empenhamento indefectível na proclamação do Evangelho – Boa Nova – de Jesus Cristo que é amor, perdão, graça, fé, esperança e alegria!